Priorizar é preciso

por Adriana Fóz

Um novo ano acabou de inaugurar e já estamos em março. Como o tempo está passando
rápido, mais um ano que ficou para trás.

Outro dia li um artigo que dizia que a terra está girando alguns centésimos de minuto mais
rápido. Será que é por isso que nós estamos fazendo as coisas de modo mais acelerado?
Todavia, além deste dado científico há os adventos tecnológicos da contemporaneidade:
internet, aplicativos, fast foods, fast “moods”, fast “tudis”! E não vamos esquecer que cada um
de nós  quer dar conta de tudo e mais um pouco. Creio que esta é a receita do tempo que
passa como um foguete e que vem corroborar com a necessidade que sentimos do dia precisar
ultrapassar as 24 horas.

Hoje olhamos para 2018, para o que desejamos ou precisamos e focamos no futuro. O ano de
2017 já foi, é passado. Gosto da metáfora que precisamos levar a vida como dirigimos um
carro: Uma atenção moderada e alternada ao espelho retrovisor, que inclusive tem um
tamanho bem menor com relação ao vidro frontal do carro. Atenção também moderada para
onde queremos chegar, ao destino. E atenção total em como estamos dirigindo, no que
estamos vendo, por onde estamos passando, quem e quais outros carros ou pessoas estão a
nosso volta- ou seja, o momento presente. No caso do carro, a modernidade trouxe o waze,
mas no caso da gestão da vida nossa experiência é que faz o papel deste aplicativo.

E a experiência revela que entre passado, presente e futuro escolha sempre o presente. É hoje
que podemos abraçar quem amamos, é hoje que podemos sentir satisfação, é hoje que
adquirimos a experiência e é hoje que fazemos planos. Quanta coisa importante podemos fazer
no presente! Por isso que o vejo como um Presente. E para que possamos  “desembrulhar” este
Presente com sua devida importância é necessário vivê-lo usando a sábia palavra: priorizar.

Sim, priorizar é preciso, pois viver não é  preciso…

Priorizar é fazer um levantamento das atividades, compromissos e planos. É sentir, refletir e
decidir quais serão suas escolhas para um determinado período de tempo, contexto e
necessidade.

O que é mais importante, o que não posso deixar de fazer e o que gostaria de realizar.
Ponderar quais os custos e benefícios das minhas escolhas, é mais do que preciso… é precioso.
-Ah, mas não tenho nem tempo  para pensar! Você pode dizer.

Se esta é sua resposta, sugiro: pare!
Pare, respire, traga a consciência de que é melhor perder um minuto na vida do que perder a
vida em um minuto. Esta é uma frase que sempre ouvi de meu avô e uso sempre que tenho
dúvida para tomar uma decisão.

Em alguns minutos podemos pegar um papel, uma caneta e rabiscar nossas prioridades e
estratégias para alcançá-las. Posso lhes assegurar que desde que priorizemos sempre ajeitamos
um tempo.

Ah o tempo, este sim é nossa maior riqueza. Se não escolhermos um tempo para priorizar, em
vez de você controlar a situação, ela controlará você. E é como aprender a dirigir um carro, no
começo parece um bicho de sete cabeças e após treinar, automatizamos e conseguimos, além
de dirigir, ainda fazer mais coisas. Quem é mulher que o diga!

E falando da mulher, do cérebro feminino, este tem o feixe de neurônios que une os dois
hemisférios cerebrais, ou seja, uma região que passa informação de um lado para o outro, mais
largo. A priori consegue fazer mais coisas ao mesmo tempo.

Dirigimos, damos bronca no filho de 5 anos no banco de trás, lixamos as unhas no sinal
fechado, pesquisamos lojas no trajeto, pensamos na panela que ficou no fogo, no outro filho
adolescente que não fez a lição de inglês da aula que começará em 5 minutos, na pilha de
provas para corrigir, nas raízes brancas do cabelo que não deu para pintar exatamente quando
você irá encontrar outras mães e mais algumas outras “coisas”.

Já o cérebro masculino apresenta este feixe – que é chamado de corpo caloso, mais estreito e
de modo didático tem uma comunicação diferenciada entre os hemisférios facilitando que o
mesmo se concentre mais em uma única atividade. Por exemplo: a culinária sempre foi
atividade feminina e tem homens no lugar de experts; assim como costureiros, cabeleireiros,
dentre outras atividades. Que fique claro que estou falando de estrutura e função cerebrais e
não de demandas ambientais e competências entre sexos e gêneros. Uma mulher pode sim ser
expert em qualquer seara, assim como os homens.

Contudo, será que nós, homens e mulheres,  não deveríamos levar mais em conta, pensar,
refletir nos caminhos para se alcançar um objetivo? E mais, priorizar para ter mais qualidade de
vida?

Será que não seria mais econômico ter se planejado ou ainda priorizado o que era mais
importante? Ter apagado o fogo da panela e convidar o filho para um lanche após a atividade e
conversar com ele sobre seus divertimentos e atividades extra escolares, já que a aula era de
inglês no final do dia. Foi esta a decisão que ela passou a tomar. Gastará um pouco mais, mas
será por um determinado tempo.

Priorizar o tempo para uma refeição, preservando a saúde e gastando um pouco mais? Talvez
se colocar no papel sairá ainda mais em conta, pois além de médico e remédios custarem, a
sua saúde é impagável! Temos os nossos ideais, mas a realidade é feita de possíveis.

Não há receita para qualidade de vida, mas há sempre um caminho para se rever, se organizar
e decidir o que lhe é mais importante: o seu presente.

Faça dele o seu maior Presente!

Vale a pena ler:
O Presente Precioso
autor: Spencer Johnson
Respiração e poder Mental
autor: Marcos Netter
A Arte da Guerra
Autor: Zun Tsu
Vale a pena assistir:
O Poder Além da Vida – filme – Direção:Victor Salva
O Poder do Agora-Eckhart…Youtube
Vale a pena ir ao teatro:
Os homens são de Marte e é pra lá que eu vou- Monica Martelli
Minha Vida em Marte- Monica Martelli

Leave a reply